Publicado por: Lourival Dias | 23/11/2009

Conto: Dragões de Akah-Zaihr – Parte III

Os livros se empilhavam na escrivaninha do pequeno e humilde quarto. Uma pequena vela em cima da mesa ofertava iluminação no ambiente e permitia a leitura de vários títulos e tomos. Vilith era um bom aluno e se orgulhava disso. Seu mestre, Krankorth, já havia lhe dito que tudo o que sabia já fora passado para ele, agora todo o conhecimento deveria ser adquirido por conta própria e só assim provaria para o seu mestre o seu verdadeiro poder de auto aprendizado, necessário e indispensável a um mago.

Diferentemente de outros magos, Vilith não usava manto e nem barba, pelo contrário usava roupas de camponês, mas não tão desgastadas e sua pele lisa em sua face rivalizava com a mesma suavidade presente em um rosto feminino jovem. Por ser o melhor de sua escola de magia Vilith já estava pronto, segundo o seu mestre, a viajar em busca de poder e glória.

Porém este menino franzino tinha um grande objetivo que nunca fora externalizado para nenhuma pessoa nem para o seu próprio mestre, e este objetivo seria alcançado assim que ele tivesse a oportunidade, e se dependesse de sua vontade o alcançaria prontamente.

…………..

O titilar de armas sendo trabalhadas nas enormes forjas da Grande Fenda pairava no ambiente rasgando o ar e fagulhas irrompiam dos braseiros para o ambiente produzindo pequeninos espetáculos de luz e chamas. As cavernas anãs da Grande Fenda eram as que melhor produziam armas para a batalha, principalmente machados e espadas.

Balderk do clã de Ufghart é um excelente ferreiro, aprendera a arte da forja quando ainda era uma criança com o seu pai e desde lá nunca mais parou. Além de grande ferreiro também era um grande guerreiro e no campo de batalha nada passava por ele sem provar do sabor de seu machado de guerra. Balderk era conhecido por ser um grande anão, grande não em estatura, mas em poder de decisão e em força. Em algumas batalhas pela vastidão Balderk já havia comandado pequenos pelotões dando sucesso em suas investidas contra o inimigo.

O anão de barba ruiva e olhar voraz nunca saia de sua caverna sem seu medalhão de Zagfir, presente de seu pai, o qual ganhou a pequena jóia de outro grande anão, Yhniark Estrondo do trovão.

Perdeu o início?

Leia aqui:

Parte I

Parte II

Anúncios

Responses

  1. Como é? feminino e jovem?Não é bem assim!>=(aushuhasuhuashuhsa


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: