Publicado por: Lourival Dias | 15/01/2010

[Resenha] Livro de Introdução à Ambientação – Tagmar 2

Olá pessoal! Segue mais uma resenha de livro do cenário de Tagmar 2. Desta vez apresento o Livro de Introdução à Ambientação.

O livro começa (capítulo 1) em uma introdução pequena, mas que mostra bem do que se trata o universo de Tagmar e atenta o leitor para a área de abordagem do livro, que é “O Mundo Conhecido” que é a parte oriental de um único continente do mundo de Tagmar, só aí já se percebe o quão grande o cenário é e pode ser aumentado pelo Mestre em suas campanhas.

O capítulo 2 trata da história do mundo e dos seus Ciclos, que podem ser considerados como Eras para um entendimento melhor. O primeiro Ciclo é o “Tempo das Névoas” onde se deu a criação de Tagmar, neste momento haviam apenas os Deuses e Demônios. A história da criação fora perdida por muitos, motivo pelo qual este Ciclo é chamado de “Tempo das Névoas”, porém alguns sábios ainda possuem tal conhecimento.

O segundo Ciclo, conhecido como “O Tempo dos Filhos”, foi onde se deu a criação das raças conhecidas de Tagmar que são os anões, elfos, humanos e pequeninos, este período se estende até o advento da Grande Falha e a Revelação dos Deuses, que explicarei mais tarde. Muitas guerras explodiram neste momento devido a diversos fatores, destas batalhas surgiram locais (ruínas) impressionantes as quais são detalhadas no livro e que são: O Domo de Arminus, Ponte de Palier, A Ilha, Campo Branco e As Estepes Vítreas.

O terceiro Ciclo é o “Tempo das Mentiras Infernais” no qual testemunhou-se a chegada dos Deuses e Demônios que não haviam se mostrado no segundo Ciclo. Neste período surge a Seita, culto pagão que reverencia criaturas infernais e prega que foram elas e não Deuses os criadores de Tagmar.

Na seção seguinte que é intitulada de “Extratos do ‘Livro de Maudi’” há o relato bastante extenso de um guerreiro chamado Maudi do perfil do mundo na época da Guerra da Seita.

O capítulo 3 trás ao leitor informações sobre as diversas regiões do continente do Mundo Conhecido, um mapa é oferecido para melhor posicionamento geográfico no momento da leitura. No Mundo Conhecido é possível ter informações resumidas sobre os Reinos Livres de: Levânia, Ludgrim, Eredra, Verrogar, Dantsem, Marana, Luna, Portis, Âmien, Abadom, Acordo, Plana, Filanti, Conti, Azanti, Calco, Cidades-estado e Porto Livre. Nas Fronteiras o leitor encontrará informações de: Terra das Brumas (Dartel), Lago Denégrio, Lar (Reino Élfico), A Geleira, O Muro, Os Mangues, Blur (Reino dos Anões), O Império e Ilhas Independentes.

Em Ascensões e Quedas é apresentado um panorama geral dos impérios, reinos, dinastias, guerras, intrigas e todo o arcabouço político de Tagmar, muito da história (digamos Moderna e Contemporânea) de Tagmar é relatada nesta seção.

Outra seção importante é a Linha do Tempo, onde se pode abstrair mais da história do mundo.

O capítulo 4 trata dos Deuses de Tagmar. O mundo é politeísta e os Deuses conhecidos são: Sevides, Ganis, Blator, Maira, Selimon, Lena, Plandis, Cambu, Cruine, Palier e Parom. As informações dos deuses estão bastante restritas e resumidas, mas como dito no livro mais informações virão em lançamentos futuros, cabe aqui salientar que atualmente está sendo trabalhado no site de Tagmar justamente isto, informações acerca dos Deuses e Demônios do mundo, quem quiser ajudar basta se cadastrar e escolher um tópico para trabalhar sobre.

O capítulo 5 trata das línguas do mundo. São inúmeros as línguas e dialetos falados em Tagmar, visto que se trata de um mundo vasto e ainda que nele muitos locais permanecem inexplorados. As línguas e/ou dialetos conhecidos tratados no livro são: Malês, Línguas Selvagens, Lanta, A voz da Pedra, A Língua Élfica, Marante, Khurng e A Língua do Império.

Ao final do livro é apresentado o Mapa Principal e Considerações Finais.

Bem, este é o Livro que introduz mestres e jogadores ao mundo de Tagmar, a maior parte das informações, principalmente dos lugares, dialetos, deuses, entre outras coisas estão apresentadas de forma resumida para que em uma leitura rápida (sim, o livro tem apenas 31 páginas) já se tenha uma idéia geral sobre o que é possível encontrar em determinado lugar ou sobre qual Deus seguir em determinada campanha. É importante ressaltar também que Tagmar é um mundo rico em detalhes e que muitos destes estão a cargo do mestre, este pode e deve ampliar os horizontes deste cenário bastante rico.

É isso aí galera, espero que tenham gostado da resenha e leiam o Livro de Introdução à Ambientação para saber mais detalhes.

Até!!

Anúncios

Responses

  1. tagmar é um exemplo para mim pois mostra que com determinação e afinco podemos sim escrever um cenario e um sistema mesmo que isso leve anos para ser feitro

  2. Isso é verdade. Determinação e dedicação são indispensáveis para realizar um trabalho desse…

  3. Muito bacana a resenha… 🙂

    Uma coisa muito importante é que este é um livro introdutório. O cenário do Tagmar são descritos em detalhes no “Livro dos Reinos” e no “Terras Selvagens”, perfazendo mais de 300 páginas de texto!

  4. Isso mesmo… o Livro dos Reinos tem muita informação mesmo, ainda estou lendo ele para fazer uma resenha legal.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: