Publicado por: reignomo | 02/09/2010

[Reporte de Sessão – 3] O Império Branco

Na sessão anterior, os jogadores seguiam a trilha através das Montanhas Seawall em busca de um local chamado “Topo do Vale”.

Na única noite que precisavam parar e descansar, foram atacados por um grande grupo de goblins que rondavam a região da fronteira entre Breland e Darguun.

Quando quase todos aventureiros caíram e os que restavam já estavam desistindo de sobreviver, Olen e Fingro apareceram e salvaram os jogadores do grupo goblinóide.

É assim que começamos nossa 3ª sessão da campanha “O Império Branco”!

Assim que os jogadores estão acomodados em volta da fogueira, Olen ajuda os feridos a se recomporem enquanto conta sobre informações da região. Ele disse que enquanto os jogadores estavam subindo a trilha, ele ficou concentrado na pesquisa sobre a Falange Branca e sobre um possível desertor. Depois de reunir todos o material achado, lembrou-se que estavam em lua nova, quando a escuridão predomina durante à noite, época que era preferida para bandos de goblinóides da tribo Kalkor patrulharem a fronteira em busca de alvos para seus festins de sangue. Assim que lembrou deste fato, Olen seguiu com Fingro rumo à trilha para aletar e defender os aventureiros.

Mas mesmo assim ele levou um material de grande importância para os aventureiros. Olen contou a história da Falange Branca, desde sua origem quando Lyotard a criou na tentativa de combater o mal existente nas  Montanhas Blackcaps. Além disso, Olen havia achado, anos atrás naquela mesma clareira onde estavam os aventureiros,  um conjunto de papéis que pareciam serem páginas de um diário. Das poucas folhas existentes,  algumas contavam os acontecimentos dos primeiros dias de um soldado quando se rebelou contra a Falange. Esses textos indicavam que o dono daquele material era Ravin L´Aroc!

Atentos para a importância daquele material e, juntamente com a estranha e misteriosa história da Falange que foi contada, os jogadores dormiram com a cabeça movimentada por uma série de pensamentos que emergiram daquela conversa.

No dia seguinte Olen decidiu acompanhar o grupo para propiciar alguma defesa necessária casa ocorresse mais algum tipo de ataque além de orientá-los na trilha marcada por diversas armadilhas que Olen montara no intuito de caçar algum alimento assim como de oferecer resistência a goblinóides invasores naquela região.

Eis que sentem um cheiro reconhecível: Alguém está com alguma fogueira acessa perto dali. Estão cozinhando algo…

Assim que percorrem mais alguns passos os aventureiros vêem três goblins cozinhando um guizado em uma pequena clareira. Amarrado próximo da fogueira, um dragonborn resiste a suas amarras sabendo que seria o próximo a ser devorado pelos monstros.  Durante o combate Olen percebe algo de estranho mais à frente e vai averiguar. Enquanto isso o restante dos aventureiros salvam Supremum, o paladino, das amarras.

Assim que retiram as últimas cordas, Olen volta e manda os jogadores subirem para cima da pedra. Ele se joga na floresta escondendo-se. Os aventureiros percebem um ogro imenso vindo pela trilha. Molum, o ogro, investe contra os aventureiros, mas é alvo de uma potente armadilha de Olen que o acerta com um tronco pelas costas. Aproveitando a vantegem, os jogadores atacam o ogro ferido e eliminam o perigo.

Logo depois seguem em direção ao Topo do Vale e são deixados por Olen, que precisava voltar para casa.

Mais alguns minutos na trilha, os aventureiros descobrem as ruínas onde Ravin estaria escondido! Parece ser uma antiga construção que foi parcialmente demolida pela tribo goblinóide da região durante a Grande Guerra. Agora ela está cercada com guardas, mas um olhar mais atento percebe que eram estátuas de madeira! Estranhos nesta situação, os aventureiros percorrem toda região em busca de perigo, mas encontram apenas notas e textos de diversos assuntos em dos cômodos da ruína.

Nele encontram também um baú e, dentro dele, o diário de Ravin, o traidor! As páginas que faltavam neste diário eram exatamente as que Olen deu ao grupo.

Mas, de repente, percebem um detalhe que a princípio não havia sido notado, mas com ele tudo começava a fazer sentido…
A letra do diário de Ravin era a mesma das anotações de Olen!

As histórias que Olen contou eram o relato da vida de Ravin e agora, pensando melhor, os aventureiros percebem que Olen sabia muito para um ancião que morava na região.

Então percebem que Olen,  quem salvara a pele dos jogadores, era Ravin L’Aroc, o traidor da Falange!

Atônitos com a idéia, diversos sentimentos ocorreram: raiva, fúria, surpresa, curiosidade, enfim… todos os aventureiros foram pegos de surpresa pelo inesperado fato e isso gera uma grande discussão entre eles: Quem, afinal, é Olen? E quem é Ravin L’Aroc? “Se ele é o traidor da Falange, porque nos salvou?”
Muito precisa ser esclarecido, e isso será feito na próxima sessão!
Aguardem as próximas ações dos aventureiros nessa trama de intrigas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: