Publicado por: Lourival Dias | 06/09/2010

[Reporte de Sessão – 1] Scales of War – Resgate em Rivenroar

Ainda era a noite do dia em que os aventureiros voltaram do Covil dos Kobolds, 20 km da cidade de Queda Escarpada, quando alguns saíram para comprar alguns itens importantes para a próxima viagem que estava prestes a chegar.

Personagens:

Adran – Revenant (Elf Soul) Druida

Andrus – Halfling Ladino

Crowley – Humano Guerreiro

Gleggor – Draconato Clérigo

Kantus – Humano Ladino

Pock Dok – Gnomo Senhor da Guerra

Tristan – Humano Patrulheiro

Urik – Anão Paladino

Andrus aproveitava a sua rápida estadia na cidade para furtar quantas carteiras fossem possíveis e assim o fizera até chegar em uma loja de armas.

Gleggor aproveitou para ir até o templo da cidade pedir bênçãos para a próxima viagem.

Urik fora logo dormir na parte da estalagem da Cervejaria Lua Azul.

Outros aventureiros também foram a lojas de suprimentos, enquanto outros, como Adran, apenas via de longe as ações de Andrus.

Na loja de armas, Andrus requisitou uma rapieira, a qual foi posta no balcão pelo comerciante.

Barganharam por um bom tempo sobre o preço da lâmina. Porém, por poucos segundos o vendedor se distraiu o que fez com que Andrus e a lâmina desaparecessem como por mágica.

Depois, apenas ouviam-se os gritos do armeiro: – LADRÃÃÃÃÃOOOOO!!!!

Gleggor apareceu na rua neste instante e vendo Andrus sair correndo da loja de armas foi até lá para ver o que estava acontecendo.

Após saber que o comerciante foi roubado ele disse que sabia onde encontrar aquele ladrão, mas o armeiro deveria dar uma boa recompensa.

Desconfiado o armeiro não aceitou, uma vez que o clérigo poderia estar se beneficiando da situação.

Quando a noite já estava há muito caminhando os aventureiros retornaram para a estalagem e foram dormir, depois de muita confusão.

A manhã seguinte surgiu com muito barulho de homens falando, relinchos de cavalos e batidas de caixas de madeira na frente da estalagem.

Após fazerem o desjejum e arrumarem suas coisas os aventureiros desceram e foram para a frente, onde encontraram Adrik, o anão comerciante que os havia contratado como guardas da caravana, uma série de homens carregando três carroças com muitas caixas.

Adrik veio até os aventureiros cumprimentando-os e informou que a caravana partiria pela tarde rumo à cidade de Brindol, no Vale Elsir.

E assim transcorreu, pela tarde uma outra carroça se juntou à caravana, nesta ficariam os aventureiros durante a viagem. Outros cavalos estavam com homens montados. Tudo estava pronto para a viagem.

Finalmente a caravana partiu.

A viagem fora muito tranqüila, apesar dos perigos que poderiam espreitar nas estradas.

A viagem durou dois dias.

Ao final do 2º dia avistaram ao longe uma cidade murada, com muitas plantações ao seu redor. Já estavam no Vale Elsir e aquela cidade que avistaram era Brindol (mais informações sobre a cidade de Brindol se encontra em um dos primeiros posts do blog).

Chegaram em Brindol e rumaram para o centro da cidade.

Lá foram até uma taverna, chamada de O Chifre e Espinho.

Antes de entrarem na taverna, Adrik dera ordens para os homens descarregarem as carroças em um armazém próximo dali.

A noite já havia caído e por isso dentro da taverna a concentração de pessoas só aumentava.

Logo que entraram Adrik deu a recompensa prometida para os aventureiros. 100 PO para cada um. Então, despediu-se e foi se juntar ao taverneiro no balcão.

Aproveitando que já estavam ali os aventureiros foram aproveitar a noite.

Alguns se juntaram em uma mesa no fundo, onde alguns homens estavam apostando dinheiro em um jogo de cartas.

Várias pessoas, entre elas meio-elfos, elfos e anões se juntavam na taverna e pediam hidromel e cerveja para o taverneiro.

Gleggor bebia no balcão. Os outros se juntaram em uma mesa próximo a uma janela.

De repente o suave ruído da noite na taverna do Chifre e Espinho é interrompido pela porta quebrada da frente, que voa de suas dobradiças para aterrissar entre as mesas mais próximas. Quatro hobgoblins correm para dentro do bar, com espadas esticadas para perfurar os fregueses mais próximos. “Por Sinruth! Pela Mão!”, eles gritavam.

Tudo isto aconteceu rapidamente, os aventureiros se achavam espalhados pela taverna, mas logo se aprontaram para o iminente combate.

Vamos ver o que vai acontecer na próxima sessão.

PS: Sim, a sessão foi bastante curta por duas razões, a primeira é que eu tive um dia difícil e estava bastante cansado pra fazer este combate e a segunda é que eu queria fazer com muito cuidado o gancho entre a aventura O Covil dos Kobolds com Resgate em Rivenroar, a primeira aventura da série Scales of War. É isso pessoal! Até!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: