Publicado por: Lourival Dias | 23/09/2010

[Reporte de Sessão – 11] Keep on the Shadowfell – Fortaleza no Pendor das Sombras

Após o longo descanso os aventureiros comeram alguma coisa, principalmente carne seca que encontraram na câmara secreta da caverna dos ratos gigantes, e partiram.

Seguiram pela escada que subia, saindo daquele complexo de cavernas.

Decidiram ir até a entrada daquela masmorra e seguir por onde ainda não haviam explorado.

Antes de chegarem no salão de entrada viram um corredor que rumava ao sul, mas não seguiram por ele.

Da sala inicial seguiram para o sul.

Havia um estreito corredor e ao final dele um pequeno cômodo com duas camas de palhas, lá haviam duas portas, uma a oeste e outra a leste.

Não houviram qualquer barulho em nenhuma das portas.

Seguiram pela porta leste.

Mas descobriram apenas um quarto com muitos barris e caixas de suprimentos. Este quarto estava ligado ao corredor que viram poucos minutos antes.

Decidiram então seguir pela porta oeste.

Agatha abriu a porta e viu escadas manchadas que desciam e acabavam na escuridão total. Um odor pungente de podridão úmida preenchia o ar vindo de baixo.

Mesmo assim desceram as escadas.

Estavam se utilizando de várias fontes de luz. Até o machado de Malak, o guerreiro, fora encantado com luz por um dos magos do grupo.

Chegaram até um complexo de corredores. Tudo estava na escuridão.

Explorando a área os aventureiros virão padrões estranhos inscritos no chão.

As Runas do Terror

Victorius e Yolaws, os magos do grupo, perceberam que os padrões gerariam um efeito acionável por contato. Yolaws, ainda se lembrou, devido a seus conhecimentos que aquelas runas eram chamadas de Runas do Terror, mas não se lembrava de seus efeitos.

Com receio alguns aventureiros saltaram por cima das runas, mas outros decidiram seguir por outra região, dividindo o grupo.

Conforme seguiram ambos os grupos chegaram em regiões com runas também.

Agatha, a bruxa, pulou em direção aos braços de Malak, tirando seu orgulho da questão por alguns momentos, mas ao tocar no chão do outro lado, pisou por pouco em cima da runa!

Um grito horrível e aterrador emergiu do assoalho. Em resposta a este grito gemidos abafados e longos puderam ser ouvidos do norte e do sul vindo na direção do grupo.

Agatha, Balasar, Dracos e Malak sentiram que a força vital de seus corpos deixassem o mesmo. Além disso, uma vontade enorme abateu-se sobre os seus corações de partir correndo na direção sul!

Quando aquele terror estava no seu auge todos os heróis puderam ver, formas trôpegas com pedaços de carnes apodrecidos pendurados de seus corpos. Muitos cortes na carne revelavam até mesmo seus ossos esbranquiçados.

Eram dezenas de criaturas e estavam cercando os aventureiros, pois estavam vindo de ambas as direções.

O combate fora relativamente rápido, pois os poderes radiantes dos exploradores causava mais danos que o normal nas criaturas.

Ao final restou apenas dois zumbis mais robustos que o normal, sendo que um deles até segurou Dracos, com o instinto de drenar-lhe a vida, mas foi logo destruído pelos outros membros do grupo.

Yolaws e Agatha foram averiguar uma escada que descia rumo ao norte, apesar da escuridão que havia no local, lá no fundo, ao final das escadas, havia luz, o que chamou bastante a atenção dos aventureiros.

Mas algo também chamou a atenção deles.

À leste havia uma parede relativamente diferente das outras, procurando por alguma coisa, Balasar, Victorius e Dracos viram que em cima de onde estavam, à frente daquela porta, havia um tijolo que estava mais exposto que os outros, como um botão. Deduziram que aquilo poderia ser o mecanismo de abertura da porta.

Balasar apertou, com seu martelo o mecanismo.

Á frente do grupo a porta secreta deslizou suavemente e revelou uma sala pequena e vazia. Se esta sala chegou a guardar algum tesouro, alguém aparentemente já havia levado todo o seu conteúdo.

Porém, alguns escutaram gemidos quase inaudíveis que vinham do leste, mas era difícil definir sua origem exata, mas era como se viesse de dentro das paredes daquela sala.

Yolaws, percebeu que a parede no outro lado da sala parecia brilhar e ondular de vez em quando, o que foi no mínimo estranho.

Victorius, com suas mão mágicas,  e Agatha tocaram a parede.

Foi como se suas mãos tivessem sido teleportadas para outro local, mas ainda era possível sentir as suas mãos.

Quando retiraram as mãos do toque da parede elas vieram junto de seus braços, surgindo por aquilo que acharam ser um portal.

Decidiram entrar todos juntos ali e então…

Eles atravessaram a parede como se ela não exixtisse. Do outro lado havia uma grande câmara. Quatro cadáveres putrefados caminhavam no local e seus olhos mortos observaram sua entrada.

E então o combate teve início!

Área explorada até o momento pelos aventureiros

Vamos ver o que acontece na próxima sessão!

Até lá!

Anúncios

Responses

  1. Pessoal, mandem um banner 125×125 para nós colocarmos em parceiros… alo.guardiao@gmail.com


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: